Arquivo de junho de 2016

ICI É ALVO DE UMA OPERAÇÃO NO GAECO: Luiz Luchetta e Fruet estão de cabelo em pé!


Postado em 30/jun/2016 - Sem Comentários


O Instituto Curitiba de Informática (ICI), que trabalha para a Prefeitura de Curitiba está sendo alvo de uma operação do Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). O Ministério Público do Paraná (MP-PR) cumpriu mandados nesta quinta feira (30) para busca e apreensão de documentos no ICI e em outros cinco escritórios.
O nome da operação é Fonte de Ouro segue atrás de irregularidades em licitações e desvio de dinheiro público, conforme informou o MP-PR. “O Gaeco ressalta que, embora organizações sociais possam ser contratadas sem licitação, há evidências, inclusive em relatório do Tribunal de Contas do Estado do Paraná, de que a empresa recebe grandes valores referentes a contratos de serviços que não correspondem à finalidade da organização social, e que em muitos casos sequer existem orçamentos para aferir o justo preço cobrado pelo serviço.”
Em nota, o ICI informou que disponibilizou todas as informações e documentos solicitados pelo órgão. “A instituição se prontificou a contribuir com as autoridades e ressalta que sua atuação está dentro da legalidade.”
Vem mais coisa por aí e o tal Lucheta ( Presidente do ICI) ainda tem cabelo para deixar em pé , Fruet já não tem tanto….

Richa lança novo plano de aviação regional no Paraná em Ponta Grossa


Postado em 30/jun/2016 - Sem Comentários


O governador Beto Richa inaugurou a ampliação do aeroporto Santana nos Campos Gerais e assinou acordo com a Azul Linhas Aéreas para implantação do transporte aéreo regional nas cidades de Ponta Grossa, Umuarama, Guarapuava e Pato Branco. Pelo acordo, o ICMS será reduzido em 2%, na compra de querosene de aviação, para cada nova cidade atendida pelo serviço. A alíquota, de 18% para 16%. A redução é progressiva na medida em que haja expansão para outras cidades até o limite de 8%.

Richa disse que a modernização do aeroporto e a criação de novos voos regionais são consequências do forte desenvolvimento econômico em todas as regiões do Estado e em Campos Gerais, a região mais beneficiada com o novo ciclo de industrialização tem na Klabin e na Ambev como os empreendimento mais emblemáticos.

Barbosa é condenado por improbidade administrativa


Postado em 30/jun/2016 - Sem Comentários


O ex-prefeito de Londrina Barbosa Neto (PDT, o ex-secretário Marco Cito, o ex-procurador Fidelis Canguçu, a ex-servidora Elisângela Arduin, a empresa Proguarda e o dono, Marcelo Fonseca, foram condenados por improbidade administrativa em sentença proferida pelo juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública, Marcos José Vieira. As informações são Loriame Comeli na Folha de Londrina.

O fato ilícito, pelos quais os réus respondem também a processo criminal, é um aditivo com “ilegalidades gritantes”, no entendimento do juiz, de R$ 955 mil (valor não corrigido), ao contrato de R$ 725 mil mensais, firmado entre a Proguarda e o município, em março de 2010, cujo objeto era a limpeza, conservação e copa em prédios municipais.

Apenas cinco meses depois, em agosto, a empresa pediu recomposição do equilíbrio econômico-financeiro com a alegação de que houve aumento de trabalho, com a criação do programa Gabinete Aberto, educação em tempo integral em várias escolas e transferência da Secretaria da Mulher para o prédio da prefeitura.

“As ilegalidades, contudo, não pararam por aí. Assim é que na tramitação do pedido de reequilíbrio econômico-financeiro do contrato SMGP foram suprimidas etapas essenciais, ocultados documentos e deferido reajuste com base em planilhas e romaneio sabidamente falhos”, anotou.

Quanto à supressão de etapas, o juiz se refere principalmente ao fato de não haver no procedimento administrativo manifestação do gestor do contrato. Ocorre que documento dos dois gestores do contrato – contrário ao reequilíbrio – foi suprimido do processo. Tal parecer sumiu misteriosamente do procedimento.

O juiz especificou ainda a participação de cada réu no conluio. Sobre Barbosa Neto, asseverou que ele aplicou a teoria do domínio do fato, uma vez que como chefe do Executivo “exercia ele o poder de comando dos demais agentes públicos que operaram as ilegalidades”.

Um fato que pesou contra ele foi a exoneração da procuradora jurídica em cargo em comissão que deu parecer contrário ao aditivo. Logo em seguida, Canguçu foi contratado e manifestou-se favoravelmente ao reequilíbrio, mesmo sem fundamentos fáticos. “Daí porque entendo haver provas seguras de que o réu Homero Barbosa Neto, ao assinar o aditivo contratual, tinha não só conhecimento das ilegalidades contidas no procedimento administrativo do pedido de reequilíbrio (cujos autos foram remetidos ao seu gabinete), como o dolo de beneficiar a empresa Proguarda”, sentenciou.

(foto: Folha de Londrina)

link matéria

http://www.folhadelondrina.com.br/?id_folha=2-1–2594-20160630

CCJ vota na quarta, o recurso de Cunha


Postado em 30/jun/2016 - Sem Comentários


Osmar Serraglio (PMDB-PR), presidente da CCJ, convocou para quarta-feira, 6 de Julho, a sessão que vai apreciar o recurso do presidente afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) sobre o pedido de cassação aprovado pela Comissão de ètica. O relator Ronaldo Fonseca (Pros-DF) entrega o parecer na terça-feira, 5 de julho, para ser publicado. O prazo vencia nesta sexta-feira (1º de julho) e foi estendido a pedido de Fonseca em razão do volume do processo já tem 300 páginas.
(foto: Nathalia Passarinho/G1)

República de Curitiba” reage à soltura do marido de Gleisi Hoffmann lançando a “Operação Lava Toga”


Postado em 30/jun/2016 - Sem Comentários


fonte: Ucho Haddad
A decisão do ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), de soltar o ex-ministro Paulo Bernardo da Silva está provocando reações em todo o País. A reação mais articulada vem da capital paranaense, sede da Operação Lava-Jato e da “República de Curitiba”, temida por Lula. A medida de Toffoli provoca o receio de que se possa fragilizar a Lava-Jato e todo o processo de combate à corrupção em curso no Brasil.
O lançamento de mais um livro sobre o juiz Sérgio Moro, na quarta-feira (29), no Shopping Pátio Batel, transformou-se em palco para manifestações de inconformismo com a decisão de Toffoli. O ex-ministro de Lula (Planejamento) e de Dilma (Comunicações), já investigado em outros inquéritos da Lava-Jato, é acusado na Operação Custo Brasil de um crime repulsivo: participar de um esquema para lesar aposentados endividados.
Uma das manifestações contra a decisão de Toffoli foi comandada por Rafaela Pilagallo, militante e musa do movimento anticorrupção e de apoio à Lava-Jato, “Mais Brasil Eu Acredito”. As mulheres do “Mais Brasil” aproveitaram o evento (que teve a presença do juiz Sérgio Moro) para lançar a “Operação Lava Toga”, uma paráfrase a Lava-Jato, que pretende questionar, com manifestações públicas, decisões de setores do Judiciário sistematicamente favoráveis ao PT.
Durante o evento, Rafaela Pilagallo questionou o delegado Algacir Mikalovski, presidente do Sindicato dos Delegados da Polícia Federal, sobre se a decisão de Toffoli enfraqueceria a Lava-Jato, abrindo um perigoso precedente. Mikalovski disse que a comunidade jurídica e as instituições que trabalham na operação esperam que a lei continue sendo cumprida, igualmente para todos.

Mikalovski destacou que as decisões tomadas pela Justiça Federal do Paraná foram muito bem fundamentadas e que os recursos em cortes supremas não prosperaram. Afirmou, no entanto, que é muito preocupante quando tribunais superiores acabam flexibilizando a Lei Penal, especialmente com relação a recursos. A expectativa é que a Lava-Jato não tenha prejuízos em função dessas decisões.

A decisão de Toffoli de soltar Paulo Bernardo, que agora, em liberdade, poderia eliminar indícios ou eventuais provas de sua participação no esquema que lesou milhões de aposentados, foi saudado com uma gargalhada por Gleisi Hoffmann, na Comissão de Impeachment no Senado. Provocando revolta geral. A decisão de Toffoli também foi interpretada como possível início de uma contraofensiva contra o saneamento ético promovido pela Lava-Jato.

A mulheres do “Mais Brasil”, que encabeçam a “Operação Lava Toga”, já estiveram na linha de frente do impeachment, em ações importantes que colocaram o PT em diversas saias justas, mandaram um recado ao Supremo: “STF: Aplique a lei como deve ser”. A manifestação aconteceu durante o lançamento do livro: “Sérgio Moro – A história do homem por trás da operação que mudou o Brasil”, da jornalista Joice Hassellmann.

(foto: facebook)

link matéria

http://ucho.info/republica-de-curitiba-reage-a-soltura-do-marido-de-gleisi-hoffmann-lancando-a-operacao-lava-toga

Fruet torra R$ 58,5 milhões no 13º dos servidores e os vereadores querem detalhes do uso do dinheiro pelo prefeito


Postado em 29/jun/2016 - Sem Comentários


Os vereadores de Curitiba querem detalhes sobre como o prefeito Gustavo Fruet (PDT) vai usar o dinheiro do extinto fundo da Câmara. Foram repassados a Fruet mais de R$ 58 milhões. No início da semana, o prefeito avisou que vai gastar os recursos no pagamento de 30% do 13º salários de mais de 46 mil servidores ativos, aposentados e pensionistas. No entanto, a comissão de economia e fiscalização pede uma resposta oficial com detalhes técnicos do uso do dinheiro. As informações são da CBN Curitiba.

Um dos integrantes da comissão, Mauro Ignácio (PSB) já tinha feito um pedido de informação em maio sobre como a verba do fundo seria utilizada. O prazo para a resposta venceu no dia 23. Ignácio argumenta que o dinheiro foi repassado para a prefeitura sem ser carimbado, ou seja, o município pode decidir como vai usar o dinheiro.

“A preocupação levantada na comissão de economia e no plenário é com relação a destinação destes recursos. A alegação é que ele não podia ser carimbado. Na primeira votação, o dinheiro iria para a manutenção urbana, depois ficou em aberto com a destinação que a prefeitura achasse melhor. Todavia, se a função do vereador é de fiscalizar o executivo, devemos saber aonde vai ser aplicado este dinheiro”, cobrou Ignácio.

O vereador também reclama de outros 13 pedidos de informação que não foram respondidos. Normalmente, o prazo para responder os pedidos é de 15 dias, prorrogável por mais 15. Uma das críticas é que, muitas vezes, os vereadores não recebem respostas oficiais dos pedidos e ouvem as respostas pela na imprensa.

“Como será usado o dinheiro: no 13º, em manutenção urbana, em saúde, em educação e isso não veio. Eu tenho um pedido de informação vencido e comissão de economia reapresentou esse pedido. A Câmara que tem função de fiscalizar a prefeitura, não recebe as respostas nos devidos prazos e nem após o prazo. Ao mesmo tempo em que a prefeitura diz que está endividada, ela também faz a economia de R$ 1 bilhão. Há um contrassenso nisso”, disse Mauro Ignácio.

(foto: arquivo câmara municipal)

Paulo Bernardo é cidadão honorário de Curitiba e se tiver que usar tornozeleira eletrônica?


Postado em 29/jun/2016 - 1 Comentário


FONTE : BLOG DO BICHO PAU : A Câmara de Vereadores de Curitiba tem uma tarefa indigesta pela frente: Discutir a revogação do título de cidadão honorário concedido ao ex-ministro Paulo Bernardo, conhecido pelo Ministério Público em Londrina como “Paulo B”.

Paulo Bernardo foi preso na Operação Custo Brasil, um desdobramento da 18ª fase da Operação Lava Jato, em Brasília. O ex-ministro do Planejamento (governo Lula) e Comunicações (Governo Dilma) é acusado de receber R$ 7 milhões por meio de um esquema fraudulento.

Sério e Valente

A cidadania honorável curitibana foi concedida a Paulo B em junho de 2009 por iniciativa do vereador Pedro Paulo (PDT). Procurado pela Paiquerê sobre a possível revogação do título, a assessoria do vereador informou que ele estava em uma reunião fora da Câmara e não poderia informar o número do celular do vereador,

“Sério, competente, leal, valente, franco e comprometido são algumas qualidades do nosso homenageado”, disse à época Pedro Paulo. “Caberá a mim corresponder a esta responsabilidade”, afirmou o então ministro do Planejamento.

Paulo B e a Lista do Zavierucha

Paulo Bernardo da Silva chegou a ser investigado pelo então promotor Cláudio Esteves (hoje procurador em Curitiba) por suposto envolvimento com o esquema de corrupção na Prefeitura de Londrina. O nome dele apareceu nas anotações de Carlos Júnior ou “Carlos Zavierucha”, tesoureiro de campanha do ex-prefeito Antonio Belinati.

Na “Lista do Zavierucha”, Paulo Bernardo era chamado de “Paulo B”. o ex-ministro, ex-deputado e hoje preso na Lava Jato disse que o dinheiro citado era doação de campanha para o PT, então aliado de Belinati nas eleições municipais em Londrina.

R$ 7 milhões

A lava Jato sustenta que o escritório de advocacia ligado ao ex-ministro do Paulo Bernardo recebeu cerca de R$ 7 milhões entre 2010 e 2015 por meio de esquema que funcionava no Ministério do Planejamento.

Segundo a o Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF) há indícios de que foram desviados R$ 100 milhões de um serviço de gestão do crédito consignado a funcionários públicos.

Gaeco prende ex-sócio de advogado de Gleisi


Postado em 29/jun/2016 - Sem Comentários


Pode ser o inferno astral da banca. O Gaeco prendeu nesta qurta-feira, 29, o advogado Sacha Reck, ex-sócio de Guilherme Gonçalves, preso pela Operação Custo Brasil no sábado, 25. Na prisão de Sacha Reck, o Gaeco investiga fraudes nos sistemas de concessões municipais de transporte coletivo com atenção especial para as cidades de Guarapuava e Curitiba.

ATÉ O PSOL REJEITA O PT E O PCB


Postado em 29/jun/2016 - Sem Comentários


No último sábado, 25, o diretório estadual do Psol rejeitou, por unanimidade, as coligações com PT e PCdoB nas eleições municipais de outubro. Um relatório com a posição e justificativas será enviado ao diretório nacional que vai se debruçar sobre a questão nos dias 29 e 30 de julho. Até lá, as alianças com petistas e comunistas estão suspesas. Em Curitiba, o Psol terá candidatura própria com a ativista Xênia Mello.

O Psol tem uma resolução de âmbito nacional que libera alianças com PCB e PSTU e proíbe coligações com PSDB, DEM, PMDB, PR, PRB, PTB, PSD, PPS, PSC, SD e PP. As demais coligações serão analisadas caso a caso pelo diretório nacional. Segundo a mesma resolução, cabe aos diretórios estaduais receberem os pedidos de coligação e enviarem eles para o Diretório Nacional, se posicionando sobre os pedidos.

SÓ FALTAVA ESTA ! Fruet manda matar carneiros dos parques para alimentar os felinos do zoo de Curitiba:


Postado em 29/jun/2016 - Sem Comentários


Acreditem. O prefeito Gustavo Fruet (PDT) agora está matando os carneiros dos parques de Curitiba. Sem comida para dar aos felinos do zoológico da Curitiba, decidiu matar os caneiros. A denúncia é do ex-prefeito e deputado Luciano Ducci (PSB). Já não há carneiros nos parques Barigüi e São Lourenço. Restam uns poucos no parque náutico do Boqueirão, próximo ao zoológico. Há quem diga que Fruet não se abalou com a mortandade, pois tem hábito de matar os animais para fazer o famoso carneiro afrodisíaco. A denúncia aponta ainda que a prefeitura está trocando a carne do abate por ração para os animais no zoo.
Ele sempre foi chegado num carneiro afrodisíaco , mas matar os bichinhos deste jeito é brincadeira!

Redação e Administração

Rua Nilo Peçanha 798 - Bom Retiro
Tel./fax: 41.3338-0695

IMPACTO EDIÇÃO SEMANAL



Clique aqui para ver as edições anteriores.

VÍDEOS

Cida Borghetti

Osmar Dias

Michele Dierka - alimentos

Murilo Hidalgo

    Clique para ver todos os vídeos >>

ENQUETE

COMO FICARÁ A SITUAÇÃO DE LULA APÓS SER DENUNCIADO COMO CHEFE DE QUADRILHA?

:

Ver resultados


Loading ... Loading ...

ACOMPANHE NOSSAS REDES

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

 

REDES SOCIAIS

JORNAL IMPACTO PARANÁ
Redação e Administração - Rua Nilo Peçanha 798 - CEP: 80520-000 Bom Retiro - Tel./fax: 3338-0695