Notícia publicada 8 meses atrás.

“Amante” nervosa: Gleisi afirma que Lava-Jato está “desestruturando a política” e ataca João Doria

“Amante” nervosa: Gleisi afirma que Lava-Jato está “desestruturando a política” e ataca João Doria

fonte : Ucho Haddad///
Conhecida no setor de propinas da Odebrecht pelo codinome “Amante”, Gleisi Helena Hoffmann (PT-PR) parece não compreender que em meio ao furacão provocado pelas delações da empreiteira o melhor a fazer é agarrar-se ao silêncio.
Em discurso no plenário do Senado, a líder do PT na Casa legislativa afirmou que a Operação Lava-Jato está “desestruturando” a política e dará lugar a aventureiros na eleição de 2018. Gleisi criticou o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), considerado um possível adversário do alarife Lula na corrida presidencial de 2018.
“Doria antipolítico? Que fofo isso. É filiado ao PSDB desde 2001 e não é político? Vai ter a cara de pau de dizer que Lula não pode presidir o Brasil? Em 2018, teremos de um lado os donos do capital e do outro lado o povo brigando pelos seus direitos. Eu estarei ao lado do povo brasileiro lutando por seus direitos”, disse. A petista defendeu que “só o voto cura” e que é preciso antecipar as eleições.
Citada nas delações da Odebrecht e alvo de novo inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF), Gleisi destacou que, independente do que falem ou de como a classifiquem, subirá à tribuna todos os dias para defender “os interesses” do seu Estado.
Nas planilhas da Odebrecht, Gleisi recebeu o codinome de “amante” e é acusada de ter recebido R$ 5 milhões para a campanha de 2014. Gleisi considera que a lista do ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), divulgada na última semana, tem sido usada para generalizações. Quem ouve esse festival de besteiras e não conhece a realidade brasileira é capaz de acreditar na inocência de Gleisi Helena.
Em mais um devaneio discursivo, que serve para fisgar os brasileiros desavisados, a senadora garantiu não ter solicitado qualquer doação à Odebrecht e que provará sua inocência, mas admitiu que enfrentará um processo demorado e que somente a menção a seu nome na lista já equivale a uma condenação sob os olhos da opinião pública.
“Não estou preocupada com a eleição individual deste ou daquele, nem com a minha, e sim com o sistema democrático brasileiro, que nós não podemos jogar na lata do lixo. Não podemos jogar a criança com a água suja da bacia. Não podemos fazer isso. Nós lutamos muito para chegar a um processo democrático, e agora nós temos que ajudar a resolver essa situação.”
A parlamentar já é ré na Lava-Jato, juntamente com o marido, o ex-ministro Paulo Bernardo da Silva (Planejamento e Comunicações), por corrupção passiva e lavagem de dinheiro pelo suposto recebimento de doação ilegal de R$ 1 milhão para a campanha ao Senado em 2010, dinheiro que saiu do esquema criminoso conhecido como Petrolão.
FONTE ucho haddad— foto google





0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Redação e Administração

Rua Nilo Peçanha 798 - Bom Retiro
Tel./fax: 41.3338-0695

IMPACTO EDIÇÃO SEMANAL



Clique aqui para ver as edições anteriores.

VÍDEOS

REQUIÃO ANUNCIA ACORDO COM OSMAR DIAS EM 2018

OSMAR ANUNCIA ACORDO DA FRENTE DE ESQUEDA COM REQUIÃO

Lula diz que irá a Curitiba e desafia Lava Jato a lançar candidato

Patrícia Torassi

    Clique para ver todos os vídeos >>

ENQUETE

COMO FICARÁ A SITUAÇÃO DE LULA APÓS SER DENUNCIADO COMO CHEFE DE QUADRILHA?

:

Ver resultados


Loading ... Loading ...

ACOMPANHE NOSSAS REDES

PUBLICIDADE

 

REDES SOCIAIS

JORNAL IMPACTO PARANÁ
Redação e Administração - Rua Nilo Peçanha 798 - CEP: 80520-000 Bom Retiro - Tel./fax: 41.3338-0695